Páginas

Esta foi a maneira que encontrei de dividir com vocês minhas alegrias, emoções, meus anseios, dúvidas, questionamentos,.. enfim, dividir um pouco de mim, afinal, ser mulher, mãe e esposa, não é fácil e eu não vim com manual de instruções!

terça-feira, 31 de julho de 2012

Mamãe Arteira

Oi gente tudo bem???

Quem me conhece sabe que não consigo ficar parada, então a mamãe arteira aqui e uma amiga mais arteira ainda, montamos o ateliê Mimos de Anjo e estamos confeccionando acessórios para as meninas ficarem ainda mais lindas! Quem quiser pode nos ver pelo Facebook (quase todo mundo tem!) ou entrar no blog, mas por enquanto, todas as peças estarão no Face, já que com a Manuela pequena e minha amiga além de uma bebê de 1 ano e 3 meses, trabalha período integral em uma escola e nosso tempo ainda é bem curto para criar as peças!


Uma pequena amostra das nossas peças!

O nome Mimos de "Anjo" foi escolhido por mim e aceito logo de primeira pela minha sócia e amiga/irmã Rose. Ele tem digamos um "duplo" sentido pois o Mimos começa com M de Manuela e Anjo com a de Ana (filha da Rose) e Anjo também é dedicado ao meu amor eterno Olívia! Não poderia deixá-la de fora dessa! <3 

Quem puder da uma olhadinha e quem sabe encomendar algum Mimo para sua princesinha!!!

Com carinho,

Roberta
"nosso amor é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir!"

terça-feira, 24 de julho de 2012

O que não me disseram sobre a Maternidade - Post 1

Resolvi escrever sobre este assunto pois o que geralmente se lê é como a Maternidade é cor-de-rosa ou azul e decidi dividir em partes, pois estou só no começo desta caminhada e com certeza virão vários posts sobre este assunto!
Na verdade a maternidade é cheia de cores, mas nem sempre elas "combinam entre si!"

Antes de ter um bebê em casa, fazia vários planos e montava vários castelos sobre como seria, mas hoje a grande maioria deles desabou na minha frente!

Na verdade, minha primeira descoberta dura, talvez a mais dura de todas sobre a maternidade é a de que filhos INFELIZMENTE não morrem depois dos pais e que perder um filho é sem dúvidas, a pior frustração ou dor que se pode sentir na maternidade!

Hoje, 1 ano e 6 meses depois esta frustração terrível, tenho uma menina linda de quase 3 meses em casa e posso dizer que mesmo ela sendo um anjo de bebê, não tem sido nada fácil!

Quando pensava em amamentação, sinceramente não sei o que pensava! rs Nunca imaginei que amamentar durante a noite exigia no mínimo 1 hora do meu sono a cada mamada! Sério! Não sei se sou louca ou se acontece com todo mundo! rs Quando dizemos amamentar durante a noite, falamos em amamentar o bebê, colocar para arrotar, trocar sua fralda e muitas vezes fazê-lo pegar no sono novamente. Depois, nós é quem precisamos pegar no sono, mas daí como já passou 1 hora, temos aproximadamente mais 1h ou 1h30 para dormir, porém, se demoramos para adormecer, isso passa a ser 1h ou 40min de sono até a próxima mamada e assim vamos não só durante a noite, mas o dia também!

Sempre me perguntava como uma mãe não "percebia" que deixou de escovar os dentes ou de tomar o café da manhã, mas hoje sei que para muitas delas era difícil saber quando escovar os dentes ao acordar, por não saber identificar quando ela estaria acordando realmente, pois o sono picado não "sustenta" e fica difícil acordar! 
A alimentação também fica complicada pois nossa rotina de início se resume em AMAMENTAR - COLOCAR PARA ARROTAR - TROCAR FRALDA - AMAMENTAR - TROCAR FRALDA - COLOCAR PARA ARROTAR - TROCAR FRALDA NOVAMENTE - AMAMENTAR - e por aí vai! Você devem perguntar e o Banho? Ah! O banho é algo para sair da rotina! rs

Outra coisa que tenho tive dificuldades para entender é foi a paternidade!
Até os 7 ou 8 anos de idade, minhas únicas referências de Pai, eram os pais das minhas amigas e como não tenho lembranças de muito pequena, só me recordo que eles a levavam/buscavam na escola, da presença deles nas festa do Dia dos Pais, nos passeios de fim de semana e até das broncas por algo que faziam errado, mas quando bebê, sinceramente não me recordo! Pensei que os Pais fossem como as Mães, mas hoje vejo que não! Pai é Pai e Mãe é Mãe! Não sei se o fato de Pais não alimentarem seus filhos com seu seio ajuda nessa "delegação de responsabilidade" para mãe, mas o fato é: a grande maioria dos Pais, pensam que seu "dever" é zelar para que não falte nada "material" para o bebê e a mãe! Não digo que isso não é importante, mas o contato físico com o bebê também é de extrema importância! Hoje mesmo estava olhando para a Manuela dormindo e pensei: "Meu Deus! Ela já vai fazer 3 meses! Como ela mudou e cresceu!" Quando paro pra pensar em tudo o que vivemos nesse tempo e vejo que NÃO volta mais, me faz querer estar com ela a cada segundo mais e mais, pois cada sorriso, cada gesto, cada olhar, cada chorinho, cada suspiro ou cada descoberta não voltam mais e muitos Pais acabam perdendo isto por estarem trazendo o sustento para casa!
Quando penso no envolvimento do Pai nos cuidados com o bebê, também penso em como eles devem se sentir "excluídos" de uma certa maneira, afinal, como a Mãe acaba passando a maior parte do tempo com o bebê, existe uma certa cumplicidade entre os dois e se o bebê chora "Ué Ué" ela sabe que é sono por exemplo, mas se ele chorar "UéUéUéUé" é fome e por ai vai, mas o Pai, muitas vezes não sabe o motivo e assim, não consegue acalma-lo, assim ele fica nervoso e acaba "devolvendo" o bebê para a mãe, que por ter essa "cumplicidade" consegue acalma-lo rapidamente o que dá a sensação ao Pai de o bebê "queria a mãe" ou então de que ele (o Pai) não "leva jeito com bebês". Também acaba rolando um ciúmes por parte dos Pais em relação a Mãe/Mulher que antes era "somente dele" e que hoje, passa praticamente todo o tempo cuidando da criança, muitas vezes (na grande maioria delas) descabelada e de pijamas! 
Hoje fiquei pensando muito sobre esse "ciúmes" e cheguei a uma conclusão: A Mãe/Mulher passa a maior parte do tempo cuidando do bebê, porque muitas vezes não tem ajuda do Pai e com isso, não sobra tempo (muito menos energia) para cuidar do Pai/Marido! 
Passamos a gestação inteira nos preparando para o parto e organizando o enxoval para a chegado do bebê, mas hoje, percebo que deveríamos cuidar menos desses detalhes e mais do nosso psicológico para essa mudança drástica que acontece em nossas vidas literalmente a partir do primeiro choro!

Não estou escrevendo este post por TODAS as Mães com bebês em casa e sim POR MINHA experiência. Não me sinto confortável em dizer que nossa vida é ótima e que tudo corre as mil maravilhas, pois na verdade não é 100% do tempo assim! Ser Mãe é sem dúvidas uma das melhores coisas que me aconteceram até hoje e quero deixar claro que NÃO ESTOU RECLAMANDO DE NADA, somente dizendo que nem tudo é como sonhei ou imaginei e que ter um filho é bem mais complicado para a Mãe, pois temos que cuidar do bebê 24 horas por dia, 7 dias na semana, sendo que a mãe é realmente necessária somente nos casos de amamentação no seio, mas mesmo assim, tomamos esta responsabilidade conosco e ficamos sobrecarregas metal/fisicamente. Dormimos mal, comemos mal, descasamos mal, mas mesmo com tudo isso, o AMOR que sentimos por aqueles olhos brilhantes olhando para dentro de nós, aquele sorriso banguela que tira qualquer mal humor ou aquele silêncio gostoso só por ouvir nossa voz faz valer a pena cada segundo da nossa vida após seu nascimento e nos faz pensar em como podemos viver tanto tempo sem a presença daquele ser tão pequenino que torna nossa vida mais leve e nos faz ver que viver realmente vale a pena! É incrível pensar que somos nós Mãe e Pai, responsáveis pela concepção/criação daquele ser tão indefeso e perfeito que veio para completar nossa família e nos mostrar que podemos ser melhores a cada dia!

Apesar do cansaço já relato por mim em outro post, de muitas vezes pensar em jogar a toalha e no segundo depois me arrepender de ter pensado assim, de não conseguir comer uma comidinha quentinha ou ir á um restaurante e sentar a mesa com calma e tranquilidade como eu fazia antes, não troco essa vida por nada! 
Hoje, amo meu marido, pai das minhas filhas de uma maneira que nunca pensei ser possível, pois ele me deu o presente mais lindo e puro que alguém pode dar, uma família linda, com dois filhos caninos lindos, uma filha maravilhosa, linda e saudável e outra filha tão especial e perfeita que se tornou um anjo! Obrigada meu amor! Te amo cada dia mais!

Vocês não devem ter entendido porque este post terminou com uma declaração de amor se o tema era sobre "O que não me disseram sobre a Maternidade", mas na verdade, ninguém me falou que depois de ter um bebê em casa, eu amaria ainda mais meu esposo, pois hoje, além de marido ele é o Pai do meu bem mais precioso, minhas filhas! 

Com certeza, logo eu volto para contar outra coisa que não me disseram sobre a maternidade!

Com carinho,

Roberta
"nosso amor é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir!"

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Pronto Socorro Hospital Municipal de São José dos Campos

POR FORA BELA VIOLA, POR DENTRO PÃO BOLORENTO!




Hoje levei minha vó de 87 anos para o Pronto Socorro do Hospital Municipal de São José dos Campos, com sintomas de derrame (boca torta e dificuldades na fala). Pensei neste hospital por ser o maior Pronto Socorro da cidade e por isso oferecer mais recursos caso fosse preciso e foi mesmo. Ela foi atendida de pronto e após passar pela triagem, já foi encaminhada para um clinico. Após ver os sintomas ela fez uma tomografia da cabeça e realmente era um princípio de AVC. Resultado: Teve que ficar internada a princípio em observação.
Quando minha tia ficou sabendo da internação, me disse que iria buscar roupas e cobertores para que elas pudessem ter uma melhor "estadia" no hospital, então, ela foi com a Manuela e minha sogra e eu fiquei com minha vó aguardando sua internação. Após quase 1h de espera, fui até a sala da triagem perguntar se era lá mesmo que deveríamos aguardar e depois de ser muito bem atendida pela enfermeira, recebemos a informação de que estava sendo feita a troca de plantão, mas que sua ficha já estava pronta e só faltava preparar seu leito na ala Verde. Na hora até brinquei com ela dizendo: "Vó, será que no seu quarto tem televisão? quero ver as "Empreguetes"! E internet sem fio? Será que tem?" 
Pouco tempo depois ela foi chamada e pediram para que ela fosse até o banheiro e colocasse a camisola do hospital. Até ai, esta tudo lindo, mas quando fomos ao banheiro a falta de respeito a dignidade dos cidadãos começou.
O banheiro é utilizado por homens e mulheres. Ele cheira pior que banheiro de bar de beira de estrada, sabe aqueles mais fuleiros e nojentos??? Era assim que o banheiro cheirava. Tive nojo até de pisar naquele chão! Gente! Era um banheiro de HOSPITAL! Fora isso, minha vó de 87 anos (vamos combinar que ela não é mais uma jovenzinha, apesar de ser bem forte para a idade) não tinha uma escada para subir na maca e a enfermeira encontrou uma cadeira de plástico que foi seu auxilio para subir na maca outro detalhe: a roda da maca não travava e minha vó não conseguia levantar uma das pernas (devido ao AVC) para subir na maca. Ela também ficava preocupada de ficar com as pernas abertas por ter "homens" perto (não tem nem como recriminá-la, afinal, ela tem 87 anos e é cheia de pudores). Depois de muito custo conseguimos coloca-la um pouco de mal jeito, mas conseguimos que ela ficasse na maca e assim que a enfermeira saiu, minha vó começou a chorar, dizendo que se Deus tivesse misericórdia dela, não permitiria que ela morresse ali. Gente, nesses meus 30 anos de vida, não me lembro de ouvir minha vó reclamar dessa maneira!
Como se não bastasse tudo isso, descobrimos que nosso "quarto" não tinha TV porém, um filme de terror e descaso estava acontecendo ali mesmo e nós também fazíamos parte dele. A ala Verde, na verdade era um salão bem grande, com aproximadamente 30 pessoas, em sua grande maioria idosos, amontoados lado a lado, cada um com uma patologia diferente e os acompanhantes ficavam ali em pé, nos pés ou na cabeceira da maca, já que ao lado era impossível pois a distância entre uma maca e outra não era de 30cm.
Por um momento eu até pensei: " Ah! o hospital deve estar com super lotação!" Mas não! Quando mudaram a maca da minha vó de lugar, vi que no chão estava demarcado de verde, igual estacionamento, o lugar das macas. 
Comecei a reparar a data de chegada dos pacientes e vi que haviam pessoas que chegaram dia 13/07/2012, ou seja, há 6 dias e ainda não haviam ido para um local com um minimo de decência para cuidar de sua saúde! 
Agora eu pergunto: Quando o familiar de um Prefeito, Vereador, Deputado,...  precisa de atendimento médico, ele vai pra onde??? Lógico que para um hospital particular! Mas eles podem né, afinal, pagam convênio! E as pessoas que não podem pagar convênio porque recebem um salário mínimo, que além de ser uma miséria, também pagam impostos altíssimos ao governo??? Elas não tem direito á um atendimento digno??? 
Nós Brasileiros, ficamos tão preocupados com um time que ganha um título, em sediar uma Copa do Mundo, em festejar o Carnaval e esquecemos que a saúde desse país não é de graça. Nós pagamos e um preço muito alto por ela! Preço alto em todos os sentidos, afinal, quando precisamos de atendimento digno e de qualidade, somos "amontoados" em um salão, expostos a todos os tipos de doenças, sem um mínimo de respeito.
A única coisa que não tenho a reclamar é sobre o atendimento enquanto EU estava como acompanhante da minha vozinha. Percebi que a grande maioria dos profissionais estavam muito dispostos e exercendo seu trabalhado com muita qualidade (de acordo com as possibilidades)

O Hospital em questão, foi reformado recentemente e ficou uma fachada linda! Porém só a fachada! A parte interna, onde realmente interessa aos doentes, esta um lixo! É como minha mãe sempre diz: "por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento!"

Só espero que minha vó saia o quanto antes daquele lugar e que o quanto antes, aquele salão da ala Verde, seja extinto, com a ampliação dos leitos, para que um dia, tenhamos orgulho da saúde na nossa Cidade. Enquanto isso, sugiro que nossos políticos e seus familiares, façam o uso do Pronto Socorro do Hospital Municipal de São José dos Campos, para sentirem na pele como é ver um ente querido sendo tratado como uma coisa amontoada!

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Cansaço mental e emocional

Olha, quando estava grávida, tinha muitas teorias, planos e imaginava muito coisa depois que a Manuela nascesse (a Olívia também), mas depois que se tem um bebê em casa, teorias e planos muitas vezes caem por terra e é mais ou menos isso que esta acontecendo comigo!
Não é possível imaginar o que é ter um bebê em casa, antes de realmente tê-lo. Um bebê, um marido e dois cachorros então, aí que fica mais complicado!
Antes da Manuela nascer, eu e o Xuxu fizemos muitos planos para que eles não sentissem ciúmes e os principais seriam levar uma peça de uso dela no hospital, antes que fossemos para casa, assim eles sentiriam o cheiro e ela não seria uma "estranha" para eles. Isso conseguimos! Outra coisa seria passear com eles ao menos duas vezes por dia, mas isso JAMAIS conseguimos fazer! Eu por não conseguir sair com ela e os cachorros sozinha e o Xuxu por estar trabalhando mais do que antes de ela nascer e praticamente sem tempo!

Pode não parecer, mas um bebê necessita de muita atenção e cuidado! Quando não estou amamentando, estou trocando fralda, dando banho, arrumando o quarto, as coisas do banho, lavando roupas,... e quando penso que acabou, começa tudo de novo! Também não tem um horário, todo dia é dia e toda hora é hora, quando se trata de cuidados com o bebê!

Como já disse, o Xuxu tem trabalhado muito e nos finais de semana até traz o trabalho para casa e assim poder "ficar" mais com a família e durante o dia, fico praticamente sozinha (salvo algumas exceções) e confesso que estou ficando cansada, mas não fisicamente eu diria, mas mental e emocionalmente. O Kindim ficou doente, a Cacau com muito ciúmes e todas as vezes que estou cuidando da Manuela ela quer atenção. Quer subir no meu colo, me lamber,... sempre quando estou com ela. Já o Kindim resolveu fazer xixi fora do lugar. Ele nunca deu trabalho quanto a isso, porém, desde os 8 meses de gestação ele começou a fazer suas necessidades fisiológicas fora do lugar. Todos os dias acordamos e lá esta, um Xixi enorme no meio da cozinha, sempre acompanhado de um grande e belo cocô! Quando saímos e deixamos eles sozinhos, também recebemos este "presente", mas agora, estamos todos em casa, durante o dia e sem mais nem mesmo ouvimos o barulho do Xixi. Parece uma cachoeira! Minha impressão é que ele fica segurando o xixi para poder acumular e fazer "bem feito" na cozinha ou na sala! Isso tem me irritado muito, pois sempre acontece nos momentos mais impróprios, como por exemplo, no dia que voltei da emergência com a Manuela. Ela chorando querendo mamar e quando olho no chão da sala lá estavam meus "presentes"! 

Tudo isso tem me consumido e cansado muito! Me sinto mal, pois a impressão que tenho é de uma mãe pela metade, esposa pela metade e mulher pela metade! Não consigo exercer nenhuma dessas "funções" com competência e excelência. Tudo tão diferente do que planejei. Amo ser mãe da Manuela, do Kindim e da Cacau. Amo ser esposa do Xuxu, mas não estou me amando como deveria e nem conseguindo amá-los como deveria e como realmente amo. Na verdade, acho que não consigo demonstrar todo esse amor. Sei lá!
Meu corpo esta cansado, minha mente esta cansada e não sei como descansá-los! Mesmo que fique deitada o dia todo, minha cabeça não para de pensar e para ajudar, quando acordo durante a madrugada para amamentar a Manuela estou ficando com insônia e se acordo por exemplo as 5h ou 6h, não durmo mais, mesmo que tenha dormido a 1h da manhã! 

Comecei a colocar um plano em ação. Todos os dias quando acordar para amamentar a Manuela, vou descer com o Kindim e a Cacau para uma volta rápida e assim eles farão as necessidades fora de casa (o que me deixa bem mais aliviada!). Vamos ver se vai dar certo! Também quero tirar uns cochilos com a Manuela durante o dia, mas acho que isso vai ser mais complicado, pq mesmo deitando não consigo dormir!

Vamos lá! Não posso me entregar! Foi isso que sempre quis e sonhei. Não vai ser um obstáculo simples deste que vai me tirar do caminho. Até já começo a pensar na próxima gestação! rsrsrs

Agora preciso ir, Manela acordou e esta me chamando!

Com carinho,

Roberta
"é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir!"

quinta-feira, 5 de julho de 2012

País do futebol ou da intolerância/ignorância???


Eu amo ESPORTE e AMO futebol, vou assistir as olimpíadas e tenho certeza de que todos os Brasileiros farão o mesmo não é??? Infelizmente NÃO! Vivemos em um país que ama apenas um esporte, o futebol! Triste, mas verdadeiro! 

É o seguinte:
sou SÃO PAULINA desde sempre. Me lembro de quando era adolescente e o São Paulo jogava, colocava TODOS os Pôsters do Tricolor no chão da sala, minhas pulserinhas, camisetas (uma no corpo e outra nas mãos) o terço em cima da televisão, entre outras coisas, só que em uma final de libertadores - 1994, o São Paulo perdeu nos pênaltis para o Olimpia, gol perdido pelo jogador Palhinha e eu quase infartei. Chorei, chorei e chorei. No auge da minha fúria peguei todos os meus pôsters e rasguei, joguei minhas pulseirinhas na privada e dei descarga (sim! entupiu tudo!), deixei de usar as camisetas por um bom tempo e para completar minha enorme decepção fiquei doente e com febre dois dias! Muito drama? Pois é, também achei! E foi ai que tive meu primeiro momento de lucidez e vi que o fato de ter rasgado os pôsters (que gastei um dinheirão para comprar, eram uns 10 pelo menos!), jogado minhas pulseirinhas na privada (dei trabalho pra minha mãe) e ter ficado dois dias doente e com febre, sem sair de casa pra nada (mais uma vez trabalho pra minha mãe!), minha vida não havia ficado nem melhor e nem pior. NADA havia mudado e todas as brigas que tive na escola com meus amigos por causa do São Paulo, todas as vezes que me irritei quando alguém falou mal do "meu" time e deixei a raiva me dominar, PERDI MEU TEMPO e nada mais! Depois disso, continuo torcendo para o São Paulo, vou ao estádio, mas não sou mais como um "cavalo com cabresto" que só sabe olhar para uma única direção!

Nutrimos um "amor" tão grande pelo nosso time que muitas vezes somos capazes de MATAR ou MORRER por ele, sendo que para ele (nosso time) somos somente um número, que nem nome possui, pois a maioria dos torcedores não são afiliados e por isso, o clube pelo qual ele mata ou morre, não sabe nem da sua existência e quando assistimos nos noticiários que aconteceu uma briga de torcidas e até mortes aconteceram e porque? pra que? Realmente é necessário tirar a vida de uma pessoa só porque ela não acha que deve torcer para o seu time? E o RESPEITO ao próximo onde fica?

Só porque o time perdeu, muitas pessoas se acham do direito de sair pelas ruas quebrando e depredando tudo o que vê pela frente e que não tem NADA haver com isso! Parece que sair quebrando, matando, ofendendo ou brigando vai mudar o resultado do jogo, ou quem sabe melhorar sua vida!

Acho engraçado, principalmente no Facebook (que é a rede social do momento) a incoerência de muitas pessoas que postam frases prontas de "amor ao próximo", de "respeite para ser respeitado", de "cuida da sua vida e deixe a minha em paz", " odeio preconceito" e blá blá blá... todo mundo santo e puro, mas na linha do tempo dessas mesmas pessoas, podemos encontrar as mesmas frase prontas chamando São Paulinos de "Bambi" e fazendo piadas com isso, sendo que na verdade estão chamando os São Paulinos de Homosessuais e na verdade, desrespeitando a quem não tem a mesma opção sexual que você e de uma certa forma, ofendendo, pois no meio de uma discussão se você quer ofender alguém, não vai usar termos como "você é lindo" ou "eu te amo" para demostrar sua raiva.

Hoje no face, a cada um elogio ao time vencedor da libertadores, o Corinthians, haviam uns 5 ou 6 fazendo piadas com as pessoas que torciam contra. Quanta energia gasta a toa! Quanta criatividade desperdiçada. Quanto tempo gasto meu Deus! Até eu perdi meu tempo precioso escrevendo este post, sendo que poderia fazer várias outras coisas muito mais edificantes, só que não consegui ficar calada mais uma vez, só que diante a tanta criatividade, vigor, energia e tempo disponível das pessoas me pergunto, porque não somos assim para escolher nossos candidatos? Porque não dispomos dessa energia para estudar o plano de governo daqueles que se oferecem para cuidar do nosso futuro? Será que agora que o Corinthians ganhou a libertadores estaremos livres dos hospitais sem medicamentos? livres de médicos despreparados que cortam a perna direita ou invés de fazer uma cirurgia de apêndice? Livres das escolas sem merenda ou material didáticos? Livres da corrupção e dos dólares nas cuecas? Livres de tanta desigualdade social em um dos países com mais recursos do mundo? Livres dos impostos absurdos? NÃO! Depois do país todo ter parado ontem para torcer contra ou a favor dos times que disputavam o título da Copa Libertadores de Futebol, nada mudou na vida da maioria das pessoas (fora a dor de cabeça, ressaca,....). O que realmente mudou na sua vida desde ontem? 

Por nossa causa, um jogador de futebol ganha 1 milhão de reais por mês e na hora de cobrar um escanteio ou ficar na cara do gol, simplesmente chuta pra fora ou erra o passe. Por nossa culpa, trabalhamos o mês inteiro, das 8h as 18h, pegamos um ônibus lotado na ida e na volta do trabalho, sem um mínimo de segurança ou conforto, para no fim do mês receber o que, um salário mínimo? Uns R$ 1000,00?? ou quem sabe até R$ 5000,00. Só que para isso, ralamos o dia todo, estudamos, nos especializamos, fazemos faculdade... e por mais que nos esforcemos JAMAIS ganharemos UM MILHÃO de reais por mês! Uma pequena minoria de aproximadamente 1% da população talvez ganhe, mas os outros 99%, jamais saberão o que isso significa, nem se juntar todo dinheiro que receber durante toda vida! Agora se eles tem esse salário por nossa "causa", o que temos em troca? Ah! Sim! Eles fazem isso por amor! Será mesmo Ronaldinho Gaúcho? Será mesmo que uns 4 meses de salário atrasado pode trazer tantos transtornos assim??? E um mês sem o nosso salário? Faz falta? Uma vez li que um jogador disse para um "fã": O que gasto com meu cachorro de ração é mais do que seu salário por mês!" Depois ele se desculpou, mas ele mentiu???

Até quando seremos ignorantes com Curso Superior? Acorda meu Brasil! Acorda País sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014! Acorda meu Povo! Vamos nos unir, assim como fizemos nesta quarta (unidos para torcer contra ou a favor, mas unidos) e vamos mudar o futuro do nosso país! Vamos fazer alguma coisa que realmente valha a pena para nós e nosso filhos!

Ai gente, desculpe se alguém ficou ofendido com algo que escrevi, não era minha intenção. Amo meu amigos, sejam corinthianos, palmeirenses, são paulinos, santistas,... amo cada um, não pelo time que torcem, por suas opções sexuais ou ritmo musical, mas amo pelo que significam em minha história de vida, pois isso sim, pode mudar tudo!

Com carinho,

Roberta
"nosso amor é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir!"  

quarta-feira, 4 de julho de 2012

O medo da separação/primeira noite no berço

Essa noite a Manuela dormiu no seu berço, sozinha, longe dos meus olhos e dos meus braços para acudi-la imediatamente á qualquer som diferente ou estranho emitido por ela. Como nós pais mães, somos super-protetores (pelo menos eu sou demais e assumo!). Na verdade para algumas coisas eu até sou bem lesada, mas para outras... até me sinto sufocada as vezes, imagina a Manuela!

Quando estava grávida, eu cheia das teorias sempre disse que ela dormiria no berço desde o início, mas assim que ela saiu daqui de dentro, meu medo de perdê-la era tanto que se pudesse engolia novamente! #aloka Nos primeiros dias eu mal conseguia dormir. Era uma mistura de "NÃO ACREDITO QUE ELA ESTA AQUI" + "NÃO QUERO PERDER DE NOVO" + "OBRIGADA DEUS" + "COMO ELA É LINDA E PERFEITA" + "EU CONSEGUI" + "NÃO POSSO PERDÊ-LA" que praticamente não conseguia/queria dormir e perder qualquer segundo olhando pra ela! Tinha tanto medo de dormir e quando acordar não ter passado de um sonho, sei lá, sinceramente não sei explicar até agora, dois meses depois!
Perder um filho, independente do tempo/idade, deixa marcas inesquecíveis em qualquer mulher. Pode se dizer que na cicatriz que ficou no coração criou uma queloide imensa e que por mais que nos esforçamos não sai de jeito nenhum! É muito comum ouvir: "é uma outra gestação" ou "é uma outra criança", e por mais incrível que possa parecer, eu sei disso tudo, mas o medo de perder é inerente e não me abadona nunca!
O simples fato de dormir com a luz apagada, me deixou sufoca na primeira vez. A sensação que tinha era de que se eu estivesse olhando para ela, nada de mal a alcançaria e quando a escuridão predominava, era como se ela ficasse vulnerável e sem minha "proteção", mas eu venci a noite e mais rápido do que imaginei, com 20 dias mais ou menos, dormimos pela primeira vez com a luz apagada!

O berço também sempre foi um fantasma em minha vida e deixá-la dormindo nele, "sozinha" longe dos meus olhos sempre me pareceu além de crueldade, um desleixo meu, afinal, perto dos meus olhos ela esta "protegida", mas esse desapego maternal era preciso e fiquei durante estas 9 semanas e 3 dias ensaiando para esta "separação" tão sofrida (só pra mamãe aqui, pq ela mesmo não esta nem aí! rsrsrs) e ela aconteceu esta noite INTEIRA! Sim! A Manuela dormiu a noite inteira! Aliás, isto é algo que ela vem fazendo a uma semana. Eu sei que a grande maioria das pessoas vão dizer que devo acordá-la a cada 3 ou 4 horas para mamar, porém, desde que acordei de madruga assustada por ela não ter acordado e ela ter rejeitado o mamá, percebi que quando ela esta com fome chora e se isto não acontecer, vou deixá-la dormir. Mas fiquem tranquilos, não vou deixar minha filha morrer de fome e ela não dorme ás 7 da noite e acorda as 10 da manhã! Quando digo a noite inteira, falo de aproximadamente 7 horas de sono direto, sendo que durante o dia, ela praticamente não dorme e antes de dormir mama enlouquecidamente, como não faz durante o dia. Ah! Também faço mamadas em livre demanda com ela, ou seja, ela quer mamar e eu dou, sem me preocupar com a hora. Mas voltando ao assunto rs, essa foi a primeira noite que ela dormiu em seu berço e me sinto uma vitoriosa! Tudo bem, o berço dela fica no nosso quarto, mas da minha cama até o berço tem mais ou menos 1 metro e meio de distância! hahaha Quero ver como será quando formos para SJC, lá o berço fica em outro quarto e ai quero ver! rs Semana que vem já tem prova pra mamãe aqui, mas com bastante treino chego lá! kkkkkkkkkk

Tá bom, vou confessar uma coisa:
Hoje de manhã acordei e VI a Manuela com a boca super aberta, como se estivesse sufocada e juro, deu um pulo tão grande e tão rápido que poderia entrar no Guiness Book como o pulo mais rápido e distante do planeta já feito por uma mãe desesperada! kkkkkkk Quando cheguei vi que era apenas a sobra da grade do berço! HAuhAuhUAhUAhuAhuHaua Daqui a pouco vou ver fantasmas embaixo da cama! kkkkkkkkkkk

Agora é sério. Me sinto muito vitoriosa, de verdade. Só quem passou o mesmo que eu vai entender o que digo. Depois que perdemos um filho e trazemos outro para casa, o sentimento de super-proteção pelo medo de perder é algo que muitas vezes nos consome e se não nos policiarmos podemos sofrer muito e a criança ainda mais! Espero vencer a próxima etapa que é deixa-la dormir no seu quarto quando formos viajar e quero vencer todas as outras que ainda virão, afinal, estou só no início na caminhada da maternidade e infelizmente ela não vem com placa de orientação/direção e o coração as vezes é enganoso e anda em estrada bem diferente da razão!

Com carinho,

Roberta
"nosso amor é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir!"

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Qual o meu manequim???

Como é complicado o pós-parto para roupas! Eu já emagreci os 10 quilos que ganhei durante a gestação, mas as roupas de antes ainda não me servem! Pode parecer loucura, mas é a mais pura verdade!
Minhas pernas estão maiores, meu quadril triplicou (e já era imenso!), minha pança então, ah! essa não sei mensurar, meus seios também cresceram (disso eu não reclamo não viu??? hehehe), enfim, eu estou toda grande e sem roupas. As que eu usava durante a gestação estão largas e as de antes apertadas! Fui comprar roupas outro dia e me perguntaram qual o meu manequim, mas eu não soube responder! Não sou mais gestante, nem estou com meu corpo de antes, dizem que amamentar emagrece não sinceramente não acredito muito nisso não! Amamentar cansa! Nossa, tem dias que não faço nada e parece que capinei o dia todo!
Encontrei uma dieta na internet para mães que amamentam. Pretendo começar ainda essa semana, vamos ver se consigo. Resolvi fazer um cardápio semanal para não ficar perdida na hora de preparar a comida e também não ter muito desperdício de comida. Vamos ver se vai dar certo e se o Xuxu vai conseguir entrar na dança também! rs Tadinho do meu marido, vai ter que entrar na dança também, afinal, não basta ser marido, tem que fazer regime junto! kkkkkkkkkk

Espero que dê resultado e que em breve eu saiba qual o meu manequim!

Com carinho,

Roberta
"nosso amor é amo o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir!"

Era só um Resfriado!

Demorei mas trouxe notícias!
Graças a Deus era só um resfriado forte e não coqueluche como a Pediatra pensou! Confesso que fiquei com muito medo, mas não passou de um susto, mas agora já aprendi (a pediatra da Manuela grita \o/ êêêê!!! hahaha) quando ela fica com o chiadinho no peito já faço uma inalação com soro fisiológico e pronto! Problema resolvido! =)

Obrigada a todos que se preocuparam com a saúde da minha princesa!

Com carinho,

Roberta
"é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir!"