Páginas

Esta foi a maneira que encontrei de dividir com vocês minhas alegrias, emoções, meus anseios, dúvidas, questionamentos,.. enfim, dividir um pouco de mim, afinal, ser mulher, mãe e esposa, não é fácil e eu não vim com manual de instruções!

terça-feira, 19 de abril de 2011

3 meses sem Olívia, 3 meses que...

Aprendi que não fui a unica a perder um filho e infelizmente não serei a última a perder um filho;
Aprendi que para uma mãe que perde um filho, o tempo perde o sentido;
Aprendi que não posso contar com o amanhã, pois ele pode não chegar;
Aprendi que não se pode ficar com vontade de abraçar, dar um beijo ou simplesmente dizer o que se ama alguém;
Aprendi que nunca esquecerei a Olívia, por mais que o tempo passe;
Aprendi que nenhum filho pode ser substituído por outro;
Aprendi que o dinheiro não compra as coisas que são realmente importantes, como a vida de alguém que amamos;
Aprendi que existe saudade do que não vivi, saudades dos nosso planos não se concretizaram e jamais irão se concretizar como imaginei por falta da pessoa mais importe, minha filha Olívia que morreu;
Aprendi que por mais planos que se faça, por mais alegria que se sinta e por mais esperança que se tenha, sempre sentirei que "falta alguma coisa";
Aprendi que quando se perde um filho, palavras de quem não sabe realmente o que sinto não servem de consolo, por mais que tentem se colocar em nosso lugar, somente que passa por isso sabe o que se sente.
Aprendi que palavras não são necessárias nos momentos de dor. O silêncio já é suficiente. Saber que tenho alguém para contar, já é tudo;
Aprendi que para ser mãe de um Anjo, devemos ser mulheres mais que especiais e eu sou uma dessas mulheres!
Aprendi que na vida posso escolher entre ficar me lamentando por algo que não tem mais volta, ou seguir em frente e levar minha vida da melhor maneira que eu puder;
Aprendi que estou aprendendo todos os dias;
Aprendi que a amar e admirar ainda mais meu Xuxu;
APRENDI O VERDADEIRO SIGNIFICADO DO AMOR!

"Os planos que forma embora, o sonho que se perdeu, o que era festa e agora, é luto do que já morreu, não podes pensar que este é o teu fim, não é o que Deus planejou, levante-se do chão, erga um clamor! Restitui, eu quero de volta o que é meu, sara-me, e põe teu azeite em minha dor, restitui, e leva-me as águas tranqüilas, lava-me e refrigera minha alma. E o tempo que roubado foi, não poderá se comparar, a tudo aquilo que o Senhor, tem preparado, ao que clamar, creia porque o poder de um clamor pode ressuscitar!"

Como queria fazer um post diferente hoje. Queria dizer como esta sendo difícil ficar noites em claro por causa da cólica, de como esta difícil fazer que com que pegue a chupeta, que estou cansada, sem tempo pra nada, nem mesmo pra comer, das consultas ao pediatra, dos passeios em família,... mas hoje somente tenho para postar o quando cresci e amadureci desde que minha filha morreu. Forte esta palavra não é? MORREU! Porque será que é tão difícil aceitar a morte? Afinal, esta é a unica certeza que temos assim que somos gerados, que vamos morrer um dia. Fora isso não sabemos de mais nada. Se seremos ricos ou pobres, tristes ou felizes, altos ou baixos, gordos ou magros, não sabemos nada e não temos nenhuma certeza, somente que um dia também iremos morrer, e mesmo sabendo isso, não sabemos, quando, como ou onde. Sabe, eu sempre tive medo da morte, na verdade não é bem medo da morte, mas de morrer, o que pra mim é bem diferente. Tenho medo de não ter sido boa o suficiente, de não ter me arrependido o suficiente, tenho medo de não me encontrar com Deus. Apesar de Deus durante toda minha gravidez de uma certa maneira ter me "preparado" para a morte de minha filha, não entendi o recado e não me preparei, mas confesso que no dia que aconteceu pensei que não chegaria até aqui, até os três meses, e vejam, aqui estou eu, ansiosa por outra gestação e esperando ansiosamente os oito meses que me foram pedidos para ter uma "gestação saudável e sem riscos". Se tenho medo? Tenho e muito! Não quero passar por esta experiência novamente. Outro dia até conversei com o Xuxu sobre a possibilidade de não saber (agora de verdade) o sexo do bebê antes de nascer, pois penso que se não soubesse nada e se tivesse perdido meu bebê, seria menos doloroso, mas ele mais uma vez muito sábio me disse assim: Amor, se você assim quiser eu respeito, mas não acredito que sofreríamos menos se não soubéssemos o sexo e se o bebê não tivesse um nome, pelo contrário, acho que para Olívia foi muito bom ter sido chamada pelo nome! E mais uma vez fiquei pensando sobre isso e devo concordar com ele. Perder um filho, é perder um filho e ponto final. Não existe isso de ter nome ou não, o nome dele era MEU FILHO (A) , independente do nome de registro e a falta dele não iria amenizar ou impedir a minha dor. Por mais que eu esteja levando minha vida e seguindo em frente, a Olívia será sempre o passado mais presente de minha vida e jamais irei esquecer tudo o que vivemos! É como eu disse no post Muitas coisas, hoje meu amor pela Olívia é como o vento, não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir! E como o vento jamais acaba, meu amor jamais acabará!!!

Com todo amor do meu coração,

Roberta

13 comentários:

  1. Roberta querida, que post...
    Ontem fez 2 meses que perdi meu bebê, queria poder fazer um desabafo mas não conseguir.
    Realmente, aprendemos muito com esta perda. Eu ainda perdi o meu muito pequeno, imagino você, a sua dor.
    Por mais que digam que irá ficar tudo bem, mas é nós que estamos sentindo. É o nosso coração que fica apertado. É dos nossos olhos que saem lágrimas.
    De fato, o silencio nestas horas se faz o melhor amigo. Ultimamente, tenho ouvido algumas coisas mas Deus sabe do meu coração.
    Florzinha, que o Senhor possa está nos consolando a cada dia que passa. A espera é díficil , Ah e como tá sendo, mas faz-se necessária.
    Esperar no Senhor é o melhor, ele é fiel, justo e maravilhoso para conosco.
    Um abraço apertado de uma outra mãe de anjinho.
    Rafa

    ResponderExcluir
  2. O amor é o que fica... é real, puro e verdadeiro.
    A saudade é sinal de que foi importante e bom...
    Como diz o Pe. Marcelo: 'saudade sim, tristeza não'.
    Hj faz 11 meses que meu pai se foi. Não gosto de pensar que ele morreu... principalmente pq ele está vivo em mim... então, penso que ele se foi... mas que um dia estaremos todos juntos novamente.
    Bj carinhoso... conte comigo.
    Rúbia.

    ResponderExcluir
  3. Ro, que saudade amiga!!!
    minha net voltou no dia certo.... sabe hoje lembrei de você por diversas vezes e nem imaginei porque, agora sei....
    Mais do que tudo isso que você aprendeu, você aprendeu a se amar mais eu acho e aprendeu a ensinar todas nós que acompanhamos sua evolução, sua transformação, sua superação... Hoje só posso agradecer, agradecer por você ser essa pessoa tão forte e tão frágil ao mesmo tempo, por você ser minha amiga, por você existir, e agradecer pela Olívia esse anjo tão lindo ter vindo ao mundo para ensinar todas nós o real sentindo do amor.
    Ro, Eu Amo Você muito e espero te ver em breve, já estou com saudade....
    Beijos meu e da Sophia que está toda sorridente....

    ResponderExcluir
  4. Como vc mesmo disse, não posso fazer idéia da dor da sua perda, pois nunca vivenciei uma perda tão grande!!
    Mas fico feliz que mesmo em meio a perda e a tristeza que ela traz você tirou boas lições de aprendizado para sua vida!!!
    Nenhum outro filho irá substituir a Olívia, mas sei que irá trazer muita felicidade para a vida de vocês. E tenho certeza que muito em breve estarei lendo aqui sobre essa boa nova!!!

    Beijos mil

    ResponderExcluir
  5. Nossa Ro, que coisa mais linda !
    Lindo é saber de toda sua dor, sua historia e ver a sua força, coragem, determinação, garra !
    Sou sua fã viu !!!!
    Com certeza nada nem ninguem nunca substituira a Olivia, e concordo com o Xuxu, com nome ou sem a dor seria a mesma, e ela com certeza sentiu-se ainda mais amada sabendo que era a OLIVIA do papai e da mamãe.


    Uma vez ouvi assim num momento de muita dor: "Prepare-se pq DEUS tem algo muito grandioso esperando por vc, ele não te manda onde as suas graças não podem te alcançar!"

    Um lindo feriado pra vc, bjusss meu a da JULIA !

    ResponderExcluir
  6. Oi flor,fiquei sem palavras pois mergulhei nest post como se fosse eu...afinal domingo vai fazer 9 meses que estou sem meu anjinho.
    De fato sempre ficará um lugar vazio em nossa vida.O tempo passa,a dor fica controlada mas a lembrança e a saudade ficarão eternamente.

    Olha o Xuxu tem toda razão sobre a dor não mudar,perdi meu primeiro filho com 6 semanas de gestação e até hoje sinto por ele não ter vindo ao mundo,não saber seu sexo e nem poder ter dado um nome,foi tão difícil quanto agora,inclusive minha recuperação.Hoje estou mais forte e amadureci muito com tudo isso,nunca mais serei a mesma,digo sempre que hoje sou uma pessoa melhor mas com dois espaços no peito que jamais serão preenchidos...

    Mas Deus nos dá a força que precisamos pra enfrentar tudo e aos poucos nos devolverá a cor da vida,nunca esqueceremos mas voltaremos a sorrir de verdade novamente.

    Um superrrrrr bejo,fica com Deus!

    ResponderExcluir
  7. ROBERTA QUERIDA,ESTOU SEM PALAVRAS.

    PEÇO A DEUS QUE A CONFORTE E TE DE FORÇAS.

    DEUS ABENÇOE VC E SEU MARIDO
    E A OLIVIA LÁ NO CÉU.

    ResponderExcluir
  8. Oi Ro!! Saudades! Vc é uma mae maravilhosa para a Olivia, grande amiga e eu te admiro demais.
    Vc é Vencedora!
    Vc amadureceu e eu aprendo muito contigo. Super beijo e abraço

    ResponderExcluir
  9. Oi Roberta minha linda...
    Eu não sei muito o que te dizer... você tem razão eu não consigo ter noção do que você sente, mas eu leio e penso no Pedro... não sei como suportaria isso... só em Deus mesmo.
    E mais uma vez você tem razão, as vezes as palavras não precisam serem ditas, por isso apenas vou manter você nas minhas orações (eu e meu marido rezamos todos os dias juntos, ele te conhece de tanto eu falar, e sempre rezamos por você).

    PS. Sabia que eu te adoro também!!!!

    Beijos no seu coração!

    ResponderExcluir
  10. Oie..... que o Senhor realize sonhos lindos em cada vida que ler esta mensagem...
    coma bastante chocolate ...ok!!
    e felizzzz pascoa....
    bjinhos deliciosos...
    Obrigado pelo carinho de sempre.

    ResponderExcluir
  11. Oi Roberta,passando para desejar feliz pascoa pra você e agradecer pela sua visitinha no meu blog.
    Sempre me emociono com suas postagens, e oro pra que Deus te conforte e realize o desejo de seu coração.
    Vou te contar meu segredo... também estou tentando engravidar de novo, a Mel está pedindo um irmãzinho e já faz 3 meses que parei a pílula...
    Enfim, vamos esperar né...
    Super beijo!
    Graci

    ResponderExcluir
  12. Roberta, lindo e tocante seu post, pois traduz tudo o que uma mãe de anjo sente, todos os pesares por não poder fazer nada que planejavamos...tbm gostaria muito de passar as adversidades que passei com meu primeiro filho agora, tudo de novo, mas tenho que me contentar com noites longas e silenciosas e com dias tristes e sem aquele sorriso tão esperado. Deus está nos confortando de alguma forma pois estamos seguindo adiante na nossa missão, eu sendo a mãe do Juan Ricardo aqui na Terra e orando pelo meu anjo lá no céu e vc sendo a mamãe do anjinho chamado Olivia e se preparando para em breve tornar mãe de uma linda e com certeza amada criança. Abraços...

    ResponderExcluir
  13. Nossa, li este post e me vi... Uma parte que me marcou muito, é quando você fala que queria estar agora perdendo noites por causa de colicas do bebe... como eu queria que meu filho estivesse aqui!!!!

    ResponderExcluir

Bem vindo! Deixe um recadinho. Sua opinião é importante para mim e eu adoro quando você comenta! =)